Agora vai

Sorocaba: A cidade sustentável que asfalta seu rio e prioriza o automóvel

Repetindo erros. É assim que cresce a cidade de Sorocaba. E as novas obras viárias à margem direita do Rio Sorocaba são a perfeita definição desse incrível fenômeno, comum a tantas cidades médias que seguem os passos de grandes metrópoles brasileiras.

Enquanto outras cidades brasileiras e internacionais buscam o caminho contrário, ao devolver as várzeas aos seus rios e assim recuperará-los, a cidade de Sorocaba continua no caminho inverso – mesmo que se denomine “sustentável”.

Assim, a prefeitura de Sorocaba não titubeou: optou por asfaltar e impermeabilizar mais uma grande parcela da várzea do rio Sorocaba, com o mesmo álibi de outras tantas cidades brasileiras: desafogar o tráfego, dessa vez, próximo a ponte do pinga-pinga, entre as regiões da Avenida Dom Aguirre e Alto da Boa Vista.

Sustentável pero no mucho: asfaltar, asfaltar e asfaltar.

Sustentável pero no mucho: asfaltar, asfaltar e asfaltar.

Buscando criar alternativas à inevitável impermeabilização do solo, a Prefeitura promete ainda um sistema de drenagem reforçado para o novo trecho. A “drenagem reforçada” se contrapõe ao dobro de veículos que passarão a utilizar as vias e aos 7.800 m² de asfalto em áreas até então verdes da cidade, a um custo de R$ 3 milhões para Sorocaba.

PRESERVAÇÃO DAS MARGENS DO RIO SOROCABA 

As áreas de preservação permanente possuem diversas funções ao longo da margem do rio, como por exemplo o controle da erosão do solo e o aumento da quantidade e qualidade da água.

A partir do conhecimento científico obtido nestes últimos anos, concluiu-se que os valores regulamentados na Lei Federal 4771/65 não só estão corretos em relação à extensão dessas áreas de preservação permanente, como indicam a necessidade de expansão destes valores para limiares mínimos de pelos menos 100 m (50 m de cada lado do rio), independentemente do bioma.

Porém, infelizmente, os trechos urbanos do rio Sorocaba não seguem essa largura, pois já estão construídas avenidas em sua extensão. Por mais evidente que seja a importância do plantio e preservação de espécies arbóreas nativas para manutenção da qualidade da água do Rio Sorocaba e para a atração de fauna nativa na região, a cidade e a Prefeitura caminham no sentido oposto: a impermeabilização das margens.

RECUPERAÇÃO DE RIOS URBANOS

Cidades como Toronto, no Canadá, já se sensibilizaram para a importância da recuperação e preservação de seus rios urbanos. Assim, vem promovendo a revitalização do rio Don e da área de suas várzeas (foto), enquanto Sorocaba cada vez mais impermeabiliza as margens do rio Sorocaba.

Rio Don e a preservação de suas margens. Por outro lado, o rio Sorocaba...

Rio Don e a preservação de suas margens. Por outro lado, o rio Sorocaba…

A obra faz parte do programa Mobilidade Total, um conjunto de obras estruturantes que passa pela abertura de novos complexos viários, implantação de ruas e avenidas, construção de pontes e viadutos, além da pavimentação e recapeamento em várias regiões da cidade. Tudo isso em uma lógica cada vez mais voltada para o uso de carros e transportes individuais e a privatização do transporte público com preços exorbitantes, enquanto o tão prometido e aguardado BRT provavelmente repousa em uma das gavetas da prefeitura sorocabana.




Sem comentários

Adicione um comentário