Reunão Servidores

Servidores de Sorocaba entram em estado de greve

Os servidores públicos de Sorocaba decidiram, em assembléia realizada na segunda (07), entrar em estado de greve. A decisão foi tomada em decorrência da não abertura de negociações salariais por parte do governo municipal, que não apresentou nenhum índice de aumento após duas reuniões.

 

O sindicato reivindica 19,63% de reajuste salarial para o funcionalismo. Para chegar ao percentual de 19,63%, o sindicato levou em consideração os 10,67% referentes à reposição da inflação medida pelo IPCA durante 2015; 3,77% da reposição da defasagem salarial, considerando que os reajustes anuais de 1% concedidos na década de 2005 a 2014 ao invés de somar 10%, somaram 6,33%; reajuste de 3,19% com base no aumento da demanda de serviço, levando em consideração que nos últimos dez anos o aumento da população sorocabana foi de 12,74% e mais um reajuste de 2% referente ao programa de valorização do servidor que foi compromissado pelo governo municipal desta década.

Histórico

Duas reuniões foram realizadas com o sindicato. Na primeira realizada na última segunda-feira de fevereiro (29/02) estiveram reunidos diretores do SSPMS e os Secretários Municipais João Leandro (SEG), Aurilio Caiado (SEF) e Roberto Juliano (SEAD). Após mais de uma hora de reunião o governo não apresentou nenhum índice de reajuste ao funcionalismo municipal alegando queda na arrecadação.

A segunda reunião foi realizada ontem (07), e mais uma vez o governo municipal anunciou que não sabe de onde fará os cortes necessários para propor um reajuste aos servidores.

Por parte dos servidores há crescentes manifestações de descontentamento com o tratamento dado pelo governo nas negociações. Muitos acreditam na falta de vontade por parte dos gestores, que hoje alegam falta de recursos. Uma das principais reclamações é que o reajuste não foi sequer previsto na Lei Orçamentária Anual de 2016.




Sem comentários

Adicione um comentário